PECADOS SEXUAIS


Há vários comportamentos sexuais que são condenados e classificados como pecado dentro das Sagradas Escrituras.

O sexo está associado ao grande dom de procriar, uma das características da Divindade – dar origem a uma vida – talvez isso torne a imoralidade sexual algo tão condenado por Deus.

O capítulo 22 de Deuteronômio é claro sobre o dever da virgindade; a sociedade hebraica primitiva tinha uma forma peculiar de tratar os jovens que quebravam os votos de castidade, e os cristãos ainda seguem o princípio de se manterem castos até o casamento.

O adultério foi listado entre as proibições dos 10 Mandamentos; esse pecado sexual foi colocado ali como o requisito mínimo para os que tem a YHWH como seu Deus. Também foi repetido no capítulo 18 de Levítico que era dedicado às restrições sexuais – “Nem te deitarás com a mulher de teu próximo, para te contaminares com ela” Levítico 18:20.

Esses mandamentos (as 10 palavras como eram conhecidos pelos hebreus) se constituem o mínimo da Lei. Um hebreu ao transgredir um dos 10 mandamentos se fazia como o ímpio, ou o pagão. Viver abaixo da norma dos 10 mandamentos era quebrar a aliança com YHWH.

A Lei que era composta por 613 artigos, tinha muitas outras clausulas sexuais.

Era proibido entre os casais casados a prática do sexo na menstruação – “Não te chegarás à mulher, para lhe descobrir a nudez, durante a sua menstruação” Levítico 18:19. A abstenção sexual durante a menstruação favorece a mulher em não adquirir infecções nas partes altas de seu aparelho reprodutor.

A lei proíbe várias relações interfamiliares, que estão descritas em Levítico 18:8-17, que são classificadas como incesto, indecência etc. Entre as relações proibidas estão do pais com a filha e de sobrinhos com tias.

A prática de sexo com animais também é proibida – “Nem te deitarás com animal, para te contaminares com ele, nem a mulher se porá perante um animal, para ajuntar-se com ele; é confusão” Levítico 18:23.

Muitas doenças sexualmente transmissíveis (DST) surgiram pela transgressão desse mandamento. Bactérias e vírus que eram estranhos aos humanos foram introduzidos pela relação sexual com animais que possuem uma ‘flora microbiana’ adversa a humanos.

Ali também é condenada a relação homossexual – “Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável” Levítico 20:13. A Bíblia não condena apenas o comportamento homossexual, mas muitas práticas sexuais que se adotadas colocariam em risco a saúde ou a estrutura da sociedade.

A prostituição era outro comportamento sexual que não era incentivado – “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno” Colossenses 3:5. A prostituição foi largamente utilizada na simbologia profética para ilustrar a repulsa de Deus por outros deuses falsos. Deus não aceitava a prostituição e a usou como símbolo de sua aversão pela idolatria.

Deus se importa com a sexualidade dos humanos, caso contrário não teria colocado essas restrições como mandamentos. É curioso notar como a AIDS e as dezenas de DSTs apontam para a promiscuidade como fator determinante para a disseminação destas doenças.

Deus sempre tem razão.

3 comentários:

Claudio Elias Do Nascimento disse...

Jesus Cristo Esta Voltando!!!

Anônimo disse...

Isso me ajudou muito obrigado

Claudio Barros disse...

Muito bom os esclarecimentos.