POR QUE CELEBRAR O NATAL



É um fato reconhecido por todos os cristãos, que o nascimento de Jesus não foi no dia 25 de Dezembro. Este dia esta relacionado com o solstício, ou a rotação do planeta ao redor do sol; no inverno (dia mais curto do ano) no hemisfério Norte, ocorrendo por volta do dia 22 de dezembro; e 21 de julho no hemisfério Sul.

As civilizações que iniciaram a adoração do sol retrocedem aos sumérios e egípcios; e depois, babilônios, persas, gregos e romanos; todos esses povos criaram suas próprias homenagens ao deus Sol.

Mas foram os romanos que pulverizaram o festival pagão do Sol Invicto, no território do seu império e devido a isso, o dia 25 de dezembro se tornou um dia de festa pagã.

APROPRIAÇÕES
A Igreja cristã fixou a comemoração no dia 25 de dezembro com a intenção de suplantar essas práticas pagãs entre os novos conversos.

Mas essas apropriações da igreja cristã não se restringiram apenas ao segundo e quarto séculos na celebração do solstício. Outras apropriações começaram bem antes.

O idioma e a escrita hebraica foi a primeira grande mudança feita pela a igreja apostólica, que entendeu que o Evangelho de Jesus precisava ser escrito em grego, e não mais em hebraico. A Septuaginta já havia sido elaborada 300 anos antes, e disponibilizava o AT em grego. O império falava e lia o grego, e assim ocorreu uma das principais apropriações culturais - o idioma e a escrita.

Outra significativa apropriação da igreja cristã, do paganismo do primeiro século, foi a substituição da adoração do imperador [césares] para a adoração do seu próprio Rei, Jesus. Isso causou a morte de milhares de cristãos que foram martirizados, por não admitir adorar a imagem do imperador, mas era a continuidade do mandamento de que a Deus apenas, se devia adorar.

Ainda nessa linha de apropriações ao imperador romano, a igreja não mais reconhecia o César como o ‘Kirios’ [título de ´Senhor´, destinado ao imperador] mas transferiu esse título a Jesus, o Deus Encarnado. O Nazareno agora, era e ainda é, o Senhor Jesus [Kirios Iesus].

O Imperio também possuía um sistema de comunicação muito eficiente para levar o ‘Evangelion’ [Boa Notícia] do imperador. O termo ‘evangelho´ era uma expressão romana para os comunicados do imperador. Marcos foi o primeiro a usar esse termo, se apropriando do termo técnico do império e o transformando no evangelho de Jesus Cristo.

A ‘Pax Romana’, expressão latina para ‘Paz Romana’, é o longo período de relativa paz, gerada pelas armas e pelo autoritarismo, experimentado pelo Império Romano que iniciou-se quando Augusto, em 28 a.C., declarou o fim das guerras civis e durou até o ano da morte do imperador Marco Aurélio, em 180 d.C. ‘Pax Romana’ era uma expressão já usada na época, possuindo um sentido de segurança, ordem e progresso para todos os povos dominados por Roma.
O próprio Jesus, como Rei dos Judeus, e instalando o Reino dos Céus, disse – “A minha paz vos dou; não a dou, como o mundo dá” João14:27. Assim Jesus suplantou a ‘Pax Romana’ com o Reino da Graça.

Os romanos em suas cartas saudavam os remetentes com ‘Saúde e Paz’; mas os cristãos se apropriando da expressão e a modificando, usaram em suas cartas – “Graça e Paz” [Fp 1:2; Cl 1:2; 1Ts 1:1; 2Ts 1:2;Tt 1:4; 1Pd 1:2; 2Pd 1:2; Ap 1:4]. Os destinatários dessas cartas, em sua maioria eram de fala grega, por todo o império, e entendiam a expressão que apontava para o Reino dos Céus, e o Senhor Jesus Cristo.

Talvez, a mais popular das apropriações foi o aniversário. O costume de festejar o nascimento de uma pessoa é narrada uma vez apenas na Bíblia, sendo feita pelo Rei Herodes [Marcos 6:21]. Era um costume dos romanos e se espalhou para todo o mundo do ocidente, como um hábito cultural. Até hoje esse costume é muito popular no mundo ocidental contemporâneo. Quem não comemora o próprio aniversário? Por que não comemorar o nascimento de Jesus? O maior dos humanos que já nasceu.

As apropriações culturais também ocorriam nos nomes. O evangelista João Marcos, tinha um nome duplo; Iohannes era um nome judeu, e significa ‘amado de Yahweh’; e Marcos, era um nome romano, que significava, servo de Marte. A mais famosa mudança foi a de Saulo, transformado no Paulo cristão.

O NATAL HOJE
O dia de natal hoje tem o seu significado pleno no cristianismo, e perdeu-se o significado pagão. O fato de ter sido escolhido pelos pagãos, o dia 25 de dezembro, não é um dia marginalizado, ou inapropriado. Pelo contrário, o cristianismo elegeu esse dia e se apropriou dele para Jesus Cristo.

Foi assim com a data da Páscoa importada do judaísmo, e dezenas de outras inserções da cultura deste povo. Hoje o cristianismo é admitido como tendo raízes judaicas. E podemos admitir que os romanos exportaram muitos valores que mais tarde foram apropriados ao cristianismo.

A celebração do Natal é cristã e exalta o maior de todos os nascimentos de um ser humano-divino, o Senhor Jesus Cristo.

Estou feliz, por existir o natal.