NÃO HAVIA LUGAR PRA ELE


"Enquanto estavam lá [Belém], chegou o tempo de nascer o bebê, ela [Maria] de à luz... e o colocou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria" Lucas 2.6 e 7 NVI.

Ao vir a este mundo a Divindade Celestial, o Deus Eterno, não tinha lugar na casa dos Seus filhos.

Depois de 2 mil anos, esse fato ainda se repete, porque nós da civilização pós-moderna, nos entulhamos de cuidados e coisas no natal, e não há espaço para o Jesus do Evangelho.

Jesus vêm a cada natal novamente; agora, Ele mesmo bate a porta dos lares, e a triste realidade é que ainda não há lugar para Ele.

Jesus vêm na forma de oportunidades para a manifestação do amor, mas as portas dos corações estão fechadas.

Há a figura do 'Papai Noel' que ocupa o espaço que Jesus deveria ficar.

Ou a sala está entulhada com a Árvore de Natal e presentes e dificulta seu acesso à nossa mente.

A mesa está cheia de guloseimas, comidas e bebidas, e o santuário em que Jesus deveria habitar é profanado, impedido-O de entrar.

Nossa atenção está no brilho das luzes, no esplendor das roupas, na alegria da festa, e não há como ouvir as batidas de Jesus à porta.
 Há muita coisa para nos desviar de Jesus, do relacionamento pessoal com o Salvador; é uma época de troca de presentes, comércio, consumismo e materialismo. Isso é idolatria.

O que você sentiria se fosse a uma festa de aniversário sua, e ao chegar lá não recebesse presentes, mas as pessoas se auto-presenteassem? Onde você não era o centro das atenções mas um velho gordo recebesse os cumprimentos? O que você sentiria se você não fosse o centro das atenções, mas tudo fizesse referência a outra pessoa - o chapeuzinho na cabeça das pessoas, as cores e decorações, tudo se referisse ao velho gordo?

Ainda não há lugar para Jesus em nossas casas.

A TOUCA DE NATAL DO PAPA


Um artigo muito popular na época do Natal são as 'toucas' ou 'gorros' do Papai noel.

A origem deste item que parece tão inocente, e 'têm a cara do natal', é a vestimenta dos bispos católicos romanos.
  
“Pouco depois de assumir o pontificado, em 2005, Ratzinger ficou conhecido como "papa fashion", por usar, por exemplo, óculos escuros da marca Gucci. De acordo com alguns relatos, usava sapatilhas da grife Prada - o que o Vaticano negava. Em seu primeiro Natal como papa, apareceu em público com o camauro, um gorro de veludo escarlate forrado com arminho, uma peça singular no guarda-roupa eclesiástica - não foi vista pelo Vaticano em todo o século XX.” [VEJA] Notícia Original da Revista Veja

Estamos imersos em uma cultura católico romano, isso é inegável. Há muitos hábitos, expressões e crenças que precisam ser deixados de lado, porque de cristão não há nada.

Mas o papa não é cristão? NÃO. A Igreja Católica ROMANA é de origem pagã. De cristão só existe o interesse político-religioso e mais nada.

São essas pequenas coisas que ainda nos ligam a 'Babilônia', e é nesse contexto que a voz profética diz - "Sai dela povo meu" Ap 18.4pp.

Um Feliz Natal - com Jesus, e sem o paganismo do 'Papai Noel'.

Obs. procure no sistema de busca do Blog, o artigo sobre 'Papai Noel'; ali têm mais informações.