DOUTRINADOS PELA MÚSICA


Esse final de semana, ao me reunir para o culto de adoração com alguns jovens, percebi um fenômeno que está ocorrendo, e não é comum somente em minha igreja. Estávamos repassando a lição semanal que falava sobre a humanidade de Jesus, e um jovem tentou explicar essa verdade citando a letra de uma música. Não era uma ilustração, era uma resposta que ele encontrou para uma questão que havíamos colocado sobre como Jesus pode ser Divino e humano ao mesmo tempo.

O jovem disse da seguinte forma: “É como aquela música diz: ‘é divino o meu poder, mas de homem meu coração’” – poderia ser apenas uma ilustração, e muito boa, mas era apenas o que ele sabia citar como resposta.

Há muitos jovens que estão se demorando muito com seus fones de ouvido, aparelhos de MP4 e baixando música na internet, mas têm deixado a Bíblia de lado. Isso tem formado uma geração de pessoas que conhecem o evangelho, principalmente, pelas letras das músicas. O que deveria ser um auxílio se tornou o centro da formação de muitos jovens.

A música é um meio de entretenimento na atualidade. Isso é bom pois temos músicas que os jovens podem ouvir em ocasiões de descontração e lazer; antes nossas músicas eram apenas para o formato do culto e da adoração, e os jovens não tinham a opção de ouvir um estilo diferente em outras situações. Graças a Deus por essa variedade e opções diversificadas.

Nossa música passou por várias fases e uma delas foi a de incorporação doutrinária em suas letras; vários cantores interpretaram músicas que traziam em suas letras o conteúdo doutrinário da igreja. Temos músicas desta fase que falam sobre Jesus no santuário, cantada por Luiz Cláudio; e até mesmo sobre as 27 doutrinas (eram só 27 na época) que foi interpretada por Alessandra Samadello.

Apesar disto é preciso que os jovens tenham tempo para estudar a Bíblia, ler a lição semanal e ouvir os conceitos espirituais através das pregações. Percebo muito tédio e desinteresse nas horas de estudo da Bíblia, mas por outro lado um grande interesse pela música. A música não vai poder fortalecer os conceitos e preparar o conhecimento que é necessário para a salvação. Ela pode apenas confirmar aquilo que já foi fundamentado. Quando usamos a música como fonte principal de nossa crença, nos tornamos superficiais e inexpressivos.

O estudo individual da Bíblia é vital para o indivíduo. Há muitas pessoas que não estudam ou lêem as escrituras. Elas são apenas “papa-sermões”, e toda a sua formação vem de pessoas que pregam ou comentam algo, mas elas mesmas não estudam por si próprias. Conheço um grupo de professoras de crianças que não possuem lição de adultos, mas apenas da classe das crianças que elas ensinam, e o pior, fazem isto há anos! Algumas ganham a lição de adulto, mas não lêem; são convidadas para a classe de professores, mas não podem vir devido aos compromissos com a família e filhos, e assim seguem apenas com um conhecimento superficial da verdade.

Outro mecanismo de “estudarmos” é através de DVD´s e filmes; muitos cristão apenas assistem sermões, e até mesmo a lição pelo rádio ou TV, mas não buscam por si próprios a fonte pura e cristalina dos textos bíblicos, e expõem assim seus pensamentos às virtudes que as histórias bíblicas possuem em si mesmas.

Há muitas formas de excluirmos a Bíblia de nosso hábito de estudo diário, e isso tem feito de nossa geração, um segmento volúvel e propenso aos erros doutrinários e conformação com o mundo.

É preciso ler a Bíblia, é preciso estudo e meditação, pois somente as informações que ela possui podem transformar o cristão. Instrumentos secundários que veiculam informações da Bíblia não podem ajudar ninguém a transformar sua vida.

13 PERGUNTAS DE JESUS AOS HOMENS


A Bíblia foi inspirada a ser escrita de tal forma, que nada do seu conteúdo possa escapar a necessidade humana; suas idéias, ilustrações, figuras, enfim tudo foi projetado para atingir o coração do homem – “assim será a palavra que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia” Isa. 55:11.

Isto se torna exponencialmente real na vida de Jesus, a Palavra Encarnada. As frases de Jesus, suas parábolas, afirmações e perguntas são de uma dimensão espiritual tremenda. O significado de algumas perguntas possuem um teor profético, projetando a realidade de todas as almas, diante das suas inquirições.

Destaquei 13 perguntas de Jesus, que alcançam o âmago de nossas almas, e a razão de nossa vida espiritual.

1) Mateus 9:28 “Credes vós que eu possa fazer isto?”A pergunta de Jesus é sobre o que você acredita sobre seu poder – você crê que Ele é poderoso para realizar o impossível em sua vida? Crê que Ele pode fazer milagres em sua vida?
O poder sobrenatural só vem mediante a fé; o ato miraculoso só se realiza quando acreditamos ser real e nos movemos em direção a essa realidade virtual. Há muitas coisas que esperamos. E Jesus continua a perguntar – crê “que eu possa fazer isto” em sua vida?
Crer é fundamental para o cristão; a totalidade dos benefícios espirituais só poderão vir se você tiver fé. Ao se levantar de uma oração, ou fazer uma rápida petição diante de uma situação qualquer – acredite –Deus já está operando. As realidades espirituais são assim.

2) Mateus 14:31 “Homem de pequena fé, por que duvidaste?”
A dúvida é o grande mal dos homens pós-modernos; e isso alcançou aos cristãos. A confiança que deveriam ter em Jesus, se tornou uma ligação intelectual, e não mais uma relação de fé. Os homens de fé andam vendo as coisas celestiais, contemplam realidades eternas e as coisas deste mundo não lhes tem valor.
Mas não é essa a realidade de muitos cristãos; há aqueles que só enxergam o que o dinheiro pode comprar, só acreditam naquilo que é material, sua confiança está em seus empregos, salários e posses. Se perderem tais coisas duvidam, fraquejam e falham. São homens de pequena fé – não acreditam que “nem só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus”.

3) Mateus 16:13 “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”Os homens do século 21 dizem que Jesus foi mais um palestino, embora muito sábio; dizem que foi um homem comum, casou-se, teve filhos e morreu, como qualquer outro. Com certeza, esta não é sua crença. Mas enquanto Jesus não se tornar o SENHOR de sua vida, o Deus Vivo e Encarnado que era ao se revelar nesta pergunta, não seremos melhores do que aqueles que acreditam no Jesus histórico da Palestina.
Jesus precisa ser recebido como Aquele que governa sua vida; enquanto suas decisões e planos não estiverem de acordo com Seus ensinos, sua vida refletirá a mesma crença dos homens deste mundo.

4) Marcos 2:8 “Por que arrazoais sobre estas coisas em vosso coração?”
Jesus questionou a descrença sobre o poder que Ele possuía para perdoar os pecados. Os fariseus não acreditavam que Jesus tinha poder para oferecer o perdão, e o mesmo se passa com muitas pessoas em nossos dias. Apesar de confessar os pecados, o estilo de vida de alguns cristãos os denuncia como permanecendo no pecado. Para nos levantarmos de uma oração purificados e justos, é necessário confiar e vivenciar o perdão. Pessoas perdoadas não vivem em pecado, mas vivem como justas. Uma pessoa que foi perdoada se torna uma pessoa justa. O seu coração precisa aceitar essa realidade, sem duvidar. Sua vida precisa mostrar essa realidade – de ter sido perdoado e seus pecados retirados.

5) Marcos 5:30 “E logo Jesus, conhecendo que a virtude de si mesmo saíra, voltou-se para a multidão e disse: Quem tocou nas minhas vestes?”
A virtude que o cristianismo afirma possuir, é o elemento sobrenatural, que atua no coração do homem, transformado-o, e também no seu dia-a-dia, livrando-o e provendo das mais variadas bênçãos. Mas para receber essa virtude é preciso “tocar” a Jesus. Não é mais difícil hoje, do que foi para aquela mulher.
Diante dela havia uma multidão, e sua debilidade física. Diante de nós há a distância e nossa debilidade espiritual. O mesmo esforço é de nós requerido – perseguir a Jesus, transpor a distância física, estender a mão e “toca-lo” pela fé. Hoje, o ato de tocar, implica em crer que Ele esta lá; que é real, e atende ao meu “toque” da fé.
A mulher tocou as vestes de Jesus. Suas vestes simbolizam a Sua Justiça, oferecida ao crente. Ao “tocar” Jesus hoje, em sua Justiça, virtudes irão se manifestar em sua vida! Qual o mal que você carrega por anos? Jesus pode te livrar dele; estenda sua mão, pela fé, e creia.

6) Marcos 8:17 “E Jesus, conhecendo isso, disse-lhes: Para que arrazoais, que não tendes pão? Não considerastes, nem compreendestes ainda? Tendes ainda o vosso coração endurecido?”
As perguntas de Jesus são sobre uma eterna expectativa humana – alimento – a necessidade física de se satisfazer a fome. Jesus toca na grande expectativa existencial e materialista do homem: “Que comeremos? Que beberemos? Que vestiremos?”.
Jesus nos diz diante dessas expectativas: “não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir” Mateus 6:25.
O melhor de nosso tempo, energias e saúde são gastos atrás de tais coisas. Trabalhamos 8, 12, 16 horas perseguindo pacotes de salgadinhos, garrafas de refrigerantes e roupas sintéticas. E coisas como nossa família, filhos, saúde e felicidade, são esquecidas, ignoradas e substituídas por coisas materiais.
Nossa preocupação não deve estar nas coisas materiais, “(Porque todas essas coisas os gentios procuram.) Decerto, vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas. Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas” Mateus 6:31 e 32.

Marcos 10:51 “E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça?”
Se Jesus aparecesse a você e fizesse essa pergunta, que desejo você pediria para ser
realizado?
O cego de Jericó queria o seguinte: “Mestre, que eu tenha vista”.
Como já afirmamos, tudo na Bíblia tem uma construção profética e seu propósito é de vasto alcance para o leitor. A real necessidade humana é a cura da cegueira espiritual; o cego Bartimeu é um protótipo de todos os humanos – cegos espirituais. O que você mais precisa em sua vida, não é dinheiro, um bom emprego, uma casa ou carro – acredite!
O que mais o cristão precisa é de enxergar as realidades espirituais. Diante de uma pergunta como esta, peça: “Mestre, que eu tenha vista”. Peça para enxergar bênçãos como: perdão, justiça, o Espírito Santo, virtudes, fé, esperança e amor. Você começará a enxergar outras realidades: a necessidade dos outros, a irmandade dos companheiros de igreja, a urgência de testemunhar, o benefício em trabalhar pela igreja e muito mais.

8) Marcos 12:24 “E Jesus disse-lhes: Porventura, não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus?”
Jesus revelou a ignorância de todos quando o assunto era a morte. Eles não criam na
ressurreição e no poder de Deus para reativar a vida das pessoas que haviam morrido. E você crê na ressurreição? Crê que é apenas uma pausa na vida daqueles que se foram? Acredita que suas vidas serão reativadas, relacionamentos restaurados e que o verdadeiro sentido da vida ainda esta para vir na eternidade?
Paulo demonstrou sua preocupação com este assunto dizendo aos cristãos – “Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem Deus os tornará a trazer com ele” I Tes. 4:13 e 14 – teremos de volta as pessoas que se foram, e viveremos com elas novamente, essa é a esperança da ressurreição.

9) Lucas 17:17 “E Jesus, disse: Não foram dez os limpos? E onde estão os nove?”
Você conhece a história. Dez leprosos tinham sido curados, e somente um retornou para
agradecer. A pergunta de Jesus era sobre os outros que haviam esquecido de agradecer.
Quando acontece algo de muito bom, raramente alguém cai de joelhos imediatamente e agradece; Jesus até admite que no momento da benção, diante da grande comoção e alegria, haja um intervalo de esquecimento. Mas ele espera que você volte em gratidão. São muitos os que se esquecem de agradecer pelas bênçãos – a proporção é de dez para um.
Você está entre os que se lembram de voltar e agradecer?

10) João 1:38 “E Jesus, voltando-se e vendo que eles o seguiam, disse-lhes: Que buscais?”
O que você busca em Jesus? Quando aceitou ser um discípulo cristão estava procurando o quê em Jesus? Essa é a pergunta para os Seus seguidores do século 21. Muitos buscam em Jesus a prosperidade, os sinais, dom de línguas, cura e dezenas de outros motivos. Mas Jesus quer dar a Salvação. Jesus não é um sócio como muitos pregam, nem um empresário em busca de pessoas que façam sinais e maravilhas para usá-las em um “show”; Jesus quer oferecer a salvação e que você atenda a grande comissão”: “Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém.” Mat. 28:19 e 20

11) João 5:6 “E Jesus, vendo este deitado e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são?”
Nunca houve tantas doenças e pessoas enfermas como em nosso século. Apesar de uma
medicina avançada e muitos recursos tecnológicos, as pessoas são enfermas. Desde um grave câncer até um sintoma de colesterol alto, as doenças e sua sintomatologia atingem bilhões de pessoas e faz vítimas todos os dias.
Jesus depois se encontrou novamente com esse indivíduo que havia curado e disse a ele: “Eis que já estás são; não peques mais, para que te não suceda alguma coisa pior.”
Por uma grande ironia, são os nossos pecados (maus hábitos) que nos levam a doença. Hoje as três grandes epidemias mundiais – diabetes, doenças do coração e obesidade – são causadas por maus hábitos. Os maus tratos com nosso corpo, também são pecado – “Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo”. I Cor.3:16 e 17

12) João 8:10 “E, endireitando-se Jesus e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?”
Hoje há muitos acusadores e poucos aqueles que são solidários. O cristianismo é uma
Religião para pecadores, Jesus deixou isso bem claro – “Porque eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento” Mat. 9:13.
Quando você critica, condena e aponta os pecados dos outros, está se fazendo igual o inimigo das almas (Apoc.9:10), se torna “acusador de nossos irmãos”.
O papel do cristão é se solidarizar e restaurar.
Hoje Jesus afirma aos pecadores – “Nem eu também te condeno; vai-te e não peques mais”(v.11). O cristianismo é uma religião para pecadores que desejam não pecar mais.
Portanto se você caiu em pecado, “Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? Pois é Cristo quem morreu ou, antes, quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós” Rom. 8:33 e 34.

13) João 16:31 “Respondeu-lhes Jesus: Credes, agora?”
Essa foi uma das últimas perguntas de Jesus, em seu discurso no cenáculo antes de subir ao céu, e é a última que escolhi. Os discípulos até esse momento não conseguiam entender as palavras de Jesus sobre sua vida e morte aqui na terra, e Ele esperava por crença.
A questão central é você crer. Hoje é preciso mais manifestações de fé, onde você se mova pelo invisível e por aquilo que não se pode enxergar ainda. Você não pode ver a Jesus ao seu lado nas horas difíceis, mas Ele está ai! Você não pode enxergar como vai conseguir um outro emprego para permanecer fiel aos mandamentos, mas Jesus proverá. Você não pode imaginar como se manter puro e casto diante de tantas tentações sexuais, mas é isto que Deus espera de você.
Jesus espera mais fé, mais crença em suas ordenanças, e não uma acomodação as exigências deste mundo. O grande desafio é vivermos nos dias de hoje o estilo de vida que Jesus no pediu – obediência, fidelidade, pureza, mansidão e amor.
O mundo vai nos conduzir para um estilo de vida destituído da identidade de cristãos, mas precisamos resistir e crer que ao rejeitarmos certas coisas Deus há de prover soluções para aquela situação. Isso pode envolver todas as áreas de nossa vida. Creia nisto.

Jesus quer que através de suas perguntas, encontremos a Verdade que Ele mesmo representa. Não deixe suas convicções e opiniões orientarem sua vida, mas permita que aquilo que Jesus nos deixou em seu Evangelho seja a diretriz e norma de vida. “Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando” João 15:14.

AS SEIS DECISÕES MAIS IMPORTANTES DA VIDA


Nossa vida é composta e determinada por decisões. Há uma citação do livro Educação página 146, que afirma o seguinte: “O que fazemos é resultado do que somos. Em grande parte, as experiências da vida são fruto de nossos próprios pensamentos e ações”.

Suas ações determinarão seu futuro. Suas decisões cristalizarão ou desintegrarão seus sonhos. Portanto, suas decisões são fundamentais.

A partir da grande decisão do batismo e de que Jesus é o Senhor de sua vida, as demais decisões do cristão devem gravitar em torno de sua existência espiritual.

Podemos listar seis grandes decisões para seu sucesso na vida cristã:
1. Ter uma comunhão diária
2. Orar
3. Praticar o Bem
4. Testemunhar
5. Envolver-se na igreja
6. Submeter-se à vontade de Deus

TER UMA COMUNHÃO DIÁRIA – vida espiritual sem comunhão é uma farsa. Você precisa dos
cultos matinais e vespertinos em família; isso é como o pulsar da vida religiosa. Famílias que não se reúnem para orar pela manhã e ao final da tarde, demonstram que Jesus não é o Senhor de sua vida, mas sim o consumismo, o materialismo e a rotina do trabalho. Se você vive só, faça seus cultos sozinhos, mas procure famílias da igreja para cultuar ao pôr-do-sol de sexta, por exemplo.

Primeiro Deus, depois o resto.

Nestes cultos a Palavra de Deus, os hinos ou cânticos, a meditação, irão te conduzir ao contato com o Divino. Aqui a fé, a esperança e o amor são fortalecidos; você poderá sair para as atividades do dia, abençoado pelo Criador.

ORAR – não é simplesmente orar ao acordar, ao se alimentar e ao se deitar; também não
estão aqui incluídas as orações dos cultos que já mencionamos. Que tipo de oração você precisa decidir praticar, então?

A oração pelos outros; aquelas orações em que você intercede por amigos, companheiros de trabalho, familiares, irmãos da igreja. Você precisa de uma vida de utilidade em oração. Orar de forma intercessória é um estilo de vida para o cristão. Você demonstra interesse, preocupação e envolvimento, quando ora por alguém. Esse tipo de envolvimento é o princípio do amor – que se preocupa e age em favor de alguém.

Outra forma de oração que é vital para a existência espiritual, é o diálogo com Deus. Orar não é apenas pedir e agradecer. Orar é dialogar. Tome tempo, simplesmente, para falar com Deus sobre as coisas da sua vida. Conte a Deus sobre seus sonhos, desejos, expectativas, erros, fracassos, vitórias, frustrações, enfim, converse com Deus em um formato de diálogo, sem chavões ou formatos de oração formal.

Deus é um Ser pessoal, e precisa de pessoalidade de suas criaturas. Converse com seu criador, abra seu coração a Deus. Faça isso regularmente.

PRATICAR O BEM – um cristão que não pratica o bem, é uma das maiores falácias que
poderiam existir. Se você não realiza algo em favor de pessoas necessitadas, carentes ou até próximas a você, sinto muito em dizer – você está em sentido contrário na caminhada cristã. E isto equivale a dizer que não esta salvo... você será julgado por suas boas obras: vestir os nus, alimentar os famintos, visitar os doentes, solidarizar com os presos.

Você não pode se enganar pensando que só em ir a igreja, isso faz de você um cristão; não é assim! Isso o faz membro de uma igreja; mas cristianismo é muitíssimo mais do que isso. Cristianismo é se preocupar com as pessoas e atende-las em suas necessidades. Isso implica em ter preocupações, gastos, dores de cabeça, uso do tempo, recursos empregados, enfim, é trabalhoso, mas é vital – sem esse tipo de envolvimento não há Vida Eterna.

TESTEMUNHAR – outra decisão é falar do evangelho aos outros. Em nosso país não
evangelizamos; todos são cristãos. Então o que podemos fazer é testemunhar. Fica muito mais fácil fazer isto quando as pessoas já possuem um conhecimento prévio sobre Jesus.

E para você ser bem sucedido, é necessário que conte o que Jesus fez em sua vida. Se você não tem certeza do que foi feito, ore e peça a Deus que lhe mostre. Todo cristão tem um milagre para contar.

ENVOLVIMENTO NA IGREJA – a partir do momento que você foi batizado, foi agregado ao ‘corpo de Cristo’, a igreja. Mas muitas igrejas estão como que amputadas ou mutiladas dos seus membros. São membros que se excluem, se isolam e vivem como que alienados à uma realidade incontestável – de que cristãos vivem em conjunto.

Não há vida religiosa em grupos isolados, vidas solitárias ou famílias que entram, assistem os cultos e saem de volta para casa. Isso não é cristianismo, isso não conduz a Vida Eterna. Essas situações são comuns em quaisquer outro ambiente (clubes, resorts, spas etc.) mas jamais na igreja. Se isto ocorre, é porque estão amputados – e separados não recebem da nutrição de Jesus que é a cabeça e o mantenedor deste corpo.

Portanto, envolva-se. Visite, faça amigos, viva a irmandade que o cristianismo oferece. Trabalhe e sirva a sua igreja; há vida no movimento. A inatividade conduz a morte.

SUBMETER-SE A VONTADE DE DEUS – essa decisão é diária. A vontade Deus é nossa
santificação (I Tes.4:3); e isto não significa ausência de pecado. A santificação bíblica é a de se manter “guardar-se da corrupção do mundo” (Tia. 1:27), ou seja, não permitir que a vida deste mundo seja nosso estilo de vida.

E lembre-se: a vontade de Deus é sempre “boa, agradável e perfeita” (Rom.12:2).