AFINAL, O QUE É PECADO HOJE EM DIA?



A Bíblia usa uma rica variedade de termos para comunicar o conceito de pecado. Talvez pela diversidade de formas que podemos nos afastar de Deus e de sua Vontade para nossa vida.

1.    O termo mais usado é hatta’h ou “errar o alvo” – 293 usos no AT
2.    ‘Awon – iniquidade – 229 usos no AT
3.    Pesha – violação deliberada, revolta, rebelião – 135 usos no AT
4.    Resha – o estado do homem perverso ou desassossego – 30 usos no AT
5.    Hamarthia – errar o alvo – 175 usos no NT
6.    Paraptoma – deslize, falta, ofensa, queda – 23 usos no NT
7.    Anomia – desrespeito ou violação da lei – 14 usos no NT
8.    Adikia – injustiça; viver contrário à lei – 14 usos no NT
9.    Parabasis – entrar em uma área proibida – 7 usos vezes no NT
10.  Paraoke – deixar de ouvir ou desobediência – 3 usos no NT

Embora essa terminologia bíblica para pecado seja útil para se compreender a complexidade do pecado, o que se nota é uma graduação da gravidade destes pecados quanto ao afastamento do propósito original – a santidade.

Se pudéssemos estabelecer uma trilha descendente, os passos talvez fossem como:
a.    Abrigar um desejo mau (iniquidade)
b.    Deixar de ouvir os conselhos de Deus (desobediência)
c.    Queda do estado original (ofensa, falta)
d.    Errar o alvo (pecado) ou simplesmente deixar de ser como Jesus
e.    Viver contrariamente à lei (delito, dolo, fraude)
f.     Entrar em uma área proibida (transgressão)
g.    Praticar o mau deliberadamente, por vontade própria (rebelião)
h.    Hostilidade contra Deus (perversidade)
i.      Viver contrariamente à vontade de Deus (impiedade)

Pecado então, é um dos passos para o afastamento de Deus. Mas até estarmos como ‘rebeldes’ ou ‘ímpios’ existe uma sequência de situações.

É aqui que surge uma série de perguntas – Cinema é pecado? Roupas sensuais é pecado? Ir a shows é pecado? Torcer para um time é pecado? Etc.

Como você percebeu nem tudo pode ser classificado como pecado. Mas muitas dessas coisas são iniquidades, desobediência ou perversidade.

AMBIENTES – O CRISTÃO PODE IR E VIR?



O Livro de Salmos é chamado pelos rabinos judeus como a segunda Lei ou segunda Torah.

Se a Bíblia é a Palavra de Deus, os Salmos são a palavra dos homens a Deus.

No seu primeiro capítulo, no seu primeiro verso este livro descreve onde caminha o homem feliz ou o justo.

“Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios, não imita a conduta dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores!” Salmos 1:1 NVI

Conselho, conduta e ambiente – essa é a premissa deste verso bíblico e que se torna um princípio cristão.

Alguns justificam que Jesus ia em todos os lugares, frequentava festas e foi chamado de ‘comilão e beberrão’ (Mt 11:19) pelos fariseus, por sua liberdade no espírito.

O que é ignorado nesta interpretação apressada, é que os publicanos eram judeus e não romanos pagãos. Jesus não frequentava os ambientes dos soldados romanos ou da corte dos governadores.

As festas dos publicanos era dentro do ambiente judaico, embora ignorassem muito dos excessos das regras dos fariseus. Não havia paganismo no ambiente dos publicanos.

A crítica dos fariseus era mais perfeccionismo do que pecado em si mesmo.

Jesus era criterioso nos locais que frequentava. Os evangelhos não descrevem Jesus nas festas pagãs dos romanos, nos anfiteatros de cidades gregas de Decápolis (as 10 cidades).

Cafarnaum era uma cidade grega, embora em solo palestino; era a cidade que Jesus escolheu para se instalar. Nem por isso os eventos, ambientes e companhia dos pagãos seduziu Jesus.

Não vemos Jesus assistindo a luta dos gladiadores, corridas de cavalos, o teatro – que era muito popular na cultura helenística.

Ser cristão é ser como Cristo.

Muitos hoje não merecem o título de cristãos, talvez propriamente o de mundanos, porque vivem os prazeres e nos ambientes deste mundo.

IR AO CINEMA É PECADO?



Algumas pessoas discordam de que o ambiente do cinema seja ‘pecaminoso’ ou mais propriamente ‘iníquo’. Isto porque admitem que os filmes fazem parte da cultura.

Cultura nem sempre é uma coisa boa. Veja o Carnaval por exemplo, ícone da cultura brasileira.

Quando se discute sobre cinema, existem duas coisas diferentes:
O ambiente – cinema
Os filmes exibidos ali – ação, romance, ficção, violência etc.

A discussão aqui é sobre o ambiente. 
O ambiente do cinema é ‘iniquo’. 

E o que determina isso ser assim são duas coisas:
O motivo que as pessoas vão ali (diversão)
A presença de quem está ali (ímpios)

O primeiro argumento (diversão) serve de linha divisória para outros ambientes.

Uma rodoviária, supermercado e até uma universidade possui muitas pessoas ímpias (vivem contrários à vontade de Deus). Mas o motivo pelo que você está ali (no supermercado ou universidade) justifica o fato de você não ser contado entre os transgressores.

Geralmente o motivo de estarmos em um supermercado (compras) não é pecaminoso. Mas estar em um cinema se divertindo com os ímpios se torna pecaminoso. O cristão não se diverte com o pecado ou se alegra na iniquidade. "Bem aventurado o homem que... não se assenta na roda dos escarnecedores" Sl 1.1up

Quando você vai ao cinema está se assentando ao lado de 'escarnecedores', ímpios. Foi ali para se divertir como um deles.

O argumento do que é assistido ali no cinema é apenas uma violação a mais.

Ir ao cinema é iniquidade  porque é um ambiente de diversão mundana. E esta definição de ambientes mundanos é antiga.

“Os verdadeiros seguidores de Cristo terão sacrifícios a fazer. Fugirão dos lugares de diversões mundanas, pois não encontram aí a Jesus” MJ, 376.

Seria bom lembrar que o voto batismal no item número 07 descreve o novo crente como aquele que “abandonou as diversões mundanas como cinema” etc.

Aqueles que vão ao cinema quebram seu voto batismal, alimentam a iniquidade e estão fortalecendo sua natureza carnal, aumentando sua capacidade para a transgressão propriamente dita.


 Há muitas opções para os jovens que desejam se manter ao lado de Deus. Não vá ao cinema, organize uma reunião de jovens e assista filmes apropriados no salão de jovens de sua igreja, ou na casa daquele amigo que a mãe não se importa em receber os amigos.

Há sempre uma forma de não errarmos o alvo.

ASSISTIR A FILMES É PECADO?



Pecado é errar o alvo de se tornar igual a Jesus.

E certamente há filmes que nos levam a nos tornar diferentes de Deus.  “É pela contemplação que somos transformados” 2 TS, 341.

Até a mídia admite que há filmes próprios e impróprios de acordo com a censura; e estabelece limites de idade para certos filmes, colocando classificações como: cenas de nudez, violência, palavrões, cenas de sexo explícito etc.

Filmes nem sempre são culturais; a não ser que possamos criar uma categoria nova de filmes como a cultura mundana ou pecaminosa.

Cultura e seus elementos nem sempre é algo bom. O maior evento cultural do Brasil é o Carnaval; você tem dúvidas sobre o carnaval ser algo bom?

Também não é suficiente apenas não ir ao cinema. É necessário assistir bons filmes. Não ir ao cinema e assistir a qualquer filme, não diminui o problema da iniquidade em nossa mente. A iniquidade continuará a ser fortalecida e a transgressão será uma questão de oportunidade.

Nem todos os filmes de comédia são inocentes; nem todos os romances são puros. É necessário muito critério para a escolha dos filmes.

Há pouca coisa que os cristãos podem assistir com segurança. Há muito apelo sexual, violência e crime.

Talvez você imagine que não há nada de mais em assistir algumas poucas cenas de sexo pré-marital, conceitos sobre drogas etc. Mas a exposição a tais conceitos é que fortalecem a iniquidade interior.

Se divertir com cenas de erotismo, violência e crime é se alegrar com a existência do pecado.

“Satanás está usando todos os meios para tornar o crime e vícios degradantes populares (...) A mente é educada para familiarizar-se com o pecado. A conduta seguida pelos baixos e vis é mantida diante do povo pelos periódicos do dia, e tudo que pode despertar a paixão é posto diante deles em agitadas histórias” LA, 406.

Há duas grandes forças operando em nosso planeta; o Espírito Santo tentando levar os seres humanos a serem igual a Deus. Do outro lado, Satanás tentando desfigurar os humanos e leva-los a serem como ele. Você está sendo transformado à imagem de quem? De Deus ou de Satanás?

Descrevendo a situação de alguns crentes o seguinte texto afirmava que “contemplarão imagens e ouvirão sons, e estarão sujeitos a influências desmoralizantes que, a menos que delas se guardem inteiramente, imperceptível mas seguramente lhes corromperão o coração e deformarão o caráter” LA, 406.

Corrupção do coração e deformação do caráter é o penúltimo estágio na descendente trilha do pecado – a perversidade – ou hostilidade contra Deus.

Não é difícil encontrarmos mesmo dentro da igreja essa atitude em alguns crentes – hostilidade para com as coisas de Deus, a rotina da igreja, o estilo de vida cristão.

Perversidade ou Santidade? A escolha é nossa; e pode estar nas prateleiras das locadoras de DVDs ou na escolha do canal de filmes.

IR A ESTÁDIOS DE FUTEBOL É PECADO?


Não há um lugar em que a expressividade seja tão livre quanto em um estádio de futebol.

Ali se usa palavrões, grita-se ofensas, se expressa o ódio, a raiva etc.

O Salmista descreve o Justo como aquele que “não se detém no caminho dos pecadores,  
nem se assenta na roda dos escarnecedores” Salmo 1:1. E o que mais existe nesse 
ambiente são escarnecedores.

Quando você compra o ingresso para os jogos de seu time, você não escolhe quem vai estar ao seu lado; mesmo que você pague 150 ou 400 reais por cadeiras cativas haverá outros lugares onde pessoas estarão ali para xingar, tomar o nome de Deus em vão, falar palavrões, coisas indecentes etc.

A discussão sobre o que é, e o que não é pecado é importante para o cristão? Para aqueles que aguardam a Segunda Vinda de Jesus com certeza é importante. Jesus vem buscar crentes livres do pecado e de sua influência.


Talvez ir a um estádio não esteja classificado como pecado, propriamente dito, mas entre as ofensas ou ‘queda do estado original’. Há uma expressividade do ser, emoções, vibração etc.

É estar a um passo do pecado; a iniquidade foi alimentada, o conselho de Deus foi recusado e caímos do estado original ‘andando no caminho dos ímpios e se assentando na roda dos escarnecedores’.

Aqui há apenas um fator determinante – o ambiente; porque o que se assiste (na TV) não é ofensivo em si mesmo (o esporte). Quando há violência ela é punida; quando há brigas as emissoras minimizam s cenas (nem sempre); os palavrões são ocultos à audiência etc.

Alguns demonizam a prática do esporte e a transmissão da partida. O esporte em si mesmo é saudável; a exibição da partida de futebol é um entretenimento.



Obviamente você tem de fazer sábio uso do seu tempo; são 90 minutos de entretenimento...
Algumas dicas:

1.       Assista apenas a algumas partidas
2.       Evite o fanatismo
3.       Não idolatre jogadores
4.       Não ocupe os demais dias com revistas, programas e notícias de esporte
5.       Evite a cultura do esporte
6.       Escolha apenas um esporte para entretenimento (imagine acompanhar futebol, vôlei, automobilismo, basquete, UFC etc.)
7.       Seja criterioso, pois nem todo esporte é saudável ou lícito
8.       Não gaste dinheiro com futilidades do esporte
9.       Torcer para um time não é mau em si mesmo, até o momento em que isso não afete seus relacionamento com outras pessoas
10.    Não tire o tempo das coisas espirituais para o entretenimento

Um cristão em estádios de futebol é algo inimaginável. Se você tem ido, confesse sua ofensa e peça perdão Deus.

Ore como Davi – “Lava-me completamente da minha iniqüidade e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar” Salmo 51:3-5.

“Os verdadeiros seguidores de Cristo terão sacrifícios a fazer. Fugirão dos lugares de diversões mundanas, pois não encontram aí a Jesus” MJ, 376.

Pense nisso.

UFC - ENTRETENIMENTO PARA CRISTÃOS?



A violência é contrária ao cristianismo; é o oposto de ser cristão.

Cristãos são mansos e não agressivos; você pode argumentar que assistir uma luta (seja de boxe, UFC, Judô etc) não vai fazer de você agressivo ou um lutador de rua.

Mas assistir a um estupro ou uma agressão na rua e incentivar tais situações faria de você uma pessoa inocente?

Nossa mente imagina que pelo de fato de não estarmos participando da luta e apenas assistindo, isso não nos faz agressivos ou hostis. Mas não é assim; nas questões espirituais aquilo que você contempla (assiste) determina muito daquilo que você é – “pela contemplação que somos transformados” 2 TS, 341.

“O SENHOR põe à prova ao justo e ao ímpio; mas, ao que ama a violência, a sua alma o abomina” Salmos 11.5.   

Você deve estar imaginando o que um cristão deve fazer, onde ir ou assistir... e muitos devem pensar que isso tudo é loucura, religiosidade e que não tem nada haver.

“Alguns são tão indiferentes, tão descuidados, que acham que não faz diferença que se frequentem (...) [certos ambientes]. "Estamos no mundo", dizem, "e não podemos dele sair." Mas (...) podemos encontrar uma boa saída do mundo, se o escolhermos. Podemos evitar ver muito dos males que se multiplicam tão depressa nos últimos dias. Podemos evitar ouvir muito das impiedades e crimes que existem” LA, 406.

Os romanos eram famosos por seus espetáculos com gladiadores, corridas de cavalos ou de ‘bigas’, o teatro, as festas nos templos e dezenas de outros entretenimentos. Nem por isso encontramos algum relato de cristãos entrando no Coliseu em Roma para divertir-se com as lutas romanas. Os cristãos quando entravam ali era para serem martirizados, ou serem ‘espetáculo ao mundo’ (1 Co 4.9) de sua fidelidade a Jesus.

Por que as lutas são impróprias aos cristãos?
1.        São confrontos entre duas pessoas, e o cristão nunca aprova isso. Talvez o dia que surgir um esporte onde você é espancado por ‘oferecer a outra face’ (Lc 6.29)
2.       A violência é oposta a filosofia cristã (Mt 5.5)
3.      O ambiente não é próprio a cristãos (Sl 1.1)
4.      Mesmo transmitida por TV, a luta é imprópria
5.      O corpo humano é templo do Espírito Santo; espancar ou incentivar uma briga é algo inimaginável a um cristão (1Co 6.3)
6.      Assistir lutas gera um sentimento combativo no espectador
7.      Violência gera violência 
8.      Divertir-se com a violência é divertir-se com o pecado
9.      Luta não é esporte; se o corpo de alguém é danificado isso não é saudável. O mundo pode classificar como esporte, mas o conceito do mundo é deturpado.
10.  O entretenimento cristão deve contribuir positivamente com algo ao indivíduo.

Há certas coisas que são invenções exclusivas de um mundo onde a realidade é o pecado; as lutas são uma delas.